Livros que terminam sem um fim

Encontramos uma matéria interessante no site Publisher's Weekly com uma lista de 12 livros com finais não conclusivos e queríamos destacar os dois títulos estrangeiros ―isto é, escritos originalmente em outra língua que não o inglês― que entraram para a lista.

Você já leu estes dois? Gosta de ler livros com reticências no final?

AVISO: Se você não leu nenhum desses títulos, lembre-se de que, ao visitar a matéria original, você vai ler o último parágrafo de cada livro em inglês e provavelmente algumas teorias sobre como o final deveria ter sido. Depois não diga que a gente não avisou...

O castelo de Frank Kafka foi escrito originalmente em alemão e publicado em 1926, dois anos após a morte do autor. Kafka havia dito para um amigo, que foi o executor do seu testamento, que havia desistido do livro em 1922, mas lhe contou várias vezes como queria que o livro terminasse.

O castelo de Frank Kafka foi escrito originalmente em alemão e publicado em 1926, dois anos após a morte do autor. Kafka havia dito para um amigo, que foi o executor do seu testamento, que havia desistido do livro em 1922, mas lhe contou várias vezes como queria que o livro terminasse.

Almas mortas de Nikolai Gogol foi escrito originalmente em russo e publicado em 1842. O fim não chega a uma conclusão intencionalmente, pois era para ser o primeiro título de uma trilogia em homenagem ao Inferno de Dante. Gogol chegou a escrever o segundo volume, mas o destruiu logo antes de morrer.

Almas mortas de Nikolai Gogol foi escrito originalmente em russo e publicado em 1842. O fim não chega a uma conclusão intencionalmente, pois era para ser o primeiro título de uma trilogia em homenagem ao Inferno de Dante. Gogol chegou a escrever o segundo volume, mas o destruiu logo antes de morrer.