Nova tradução literária: "El legado de Marie Schlau" dos escritores da BabelFAmily

É com muito orgulho que divulgo um projeto voluntário com o qual comecei oficialmente a contribuir depois de aguardar ansiosamente a sua conclusão durante os últimos dois anos. Trata-se de um romance coletivo chamado El legado de Marie Schlau, que foi organizado a fim de conscientizar o público sobre uma doença chamada Ataxia de Friedreich (AF)

Quando ouvi falar sobre o projeto pela primeira vez, entrei em contato com o coordenador Gian Piero Sommaruga para perguntar como poderia ajudar a difundir a sua mensagem por meio da tradução. Depois de acompanhar o desenvolvimento do projeto nesses últimos meses, recebi a cópia final da versão eletrônica do livro original em janeiro deste ano e fiquei super empolgada para começar a traduzi-lo no mesmo instante. Já dediquei seis horas à tradução do espanhol para o português, vertendo 6.164 das 183.625 palavras desda tarefa voluntária de longo prazo.

O projeto foi concebido em dezembro de 2010, quando a escritora espanhola Maria Blasco Gamarra entrou em contato com a Associação BabelFAmily com a ideia ambiciosa de escrever um romance com outros autores de diferentes partes do mundo e que, como ela, sofrem de AF. A renda proveniente da venda dos livros seria então revertida para o estudo biomédico que encontraria uma cura para a doença. Então, dezessete escritores de países diferentes se reuniram para escrever alguns capítulos em seu próprio idioma ―espanhol, inglês ou português― e contar a história de Marie Schlau e sua família, começando em meados do século 19, além de uma narrativa paralela que se desenvolve no tempo presente.

Aqui está a lista dos escritores talentosos e o país de onde vieram: 

  • Sarah Allen ― Inglaterra
  • Susan Allen Carter ― EUA
  • Nicola Batty ― Inglaterra
  • Marguerite Black ― África do Sul
  • María Blasco Gamarra ― Espanha
  • Fátima D'Oliveira ― Portugal
  • María Luz González Casas ― Espanha
  • Jamie Leigh Hansen ― EUA
  • Claudia Parada ― México
  • María Pino Brumberg ― Espanha
  • Eva Plaza González ― Espanha
  • Diego Plaza González ― Espanha
  • Inmaculada Priego Priego ― Espanha
  • Rebecca Stant ― Austrália
  • Pilar Ana Tolosana ― Espanha
  • Ramón Roldán Herreruela ― Espanha
  • Miren Kristina Zarrantz Elizalde ― Espanha

E aqui está a sinopse oficial:

A história começa nos EUA, na primeira metade do século 20 (mais precisamente em 1936), e de maneira genial volta para a Alemanha do início do século 19. A vida de Marie Schlau, uma moça judia alemã nascida em 1833, esconde grandes mistérios não resolvidos: acidentes, desaparecimentos, enigmas, diagnósticos desconhecidos, assassinatos perturbadores, amor, ternura, ganância, mentiras, morte...

Ao mesmo tempo, uma história diferente se desenvolve para levar-nos para o tempo presente. Assim, temos o desenrolar de duas histórias paralelas, cada uma em uma era e em um lugar, que se cruzam de forma surpreendente em um capítulo revelador. Obviamente, a Ataxia de Friedreich é uma protagonista importante e interessante em ambas as narrativas. Emoção é o que não falta nesta história que você não pode perder!

Para se atualizar sobre o lançamento do livro em diferentes idiomas, sugiro que vocês sigam as páginas do Facebook dedicadas a notícias sobre o livro e o projeto BabelFAmily. Por enquanto, gostaria de deixar para os leitores este delicado trailer para um documentário que está sendo produzido sobre uma iniciativa literária tão corajosa.


RAFA LOMBARDINO é tradutora e jornalista brasileira, radicada na Califórnia. Trabalha como tradutora desde 1997 e, em 2011, deu início a uma colaboração com escritores independentes para traduzir suas obras para português e inglês. Além de atuar como curadora de conteúdo no eWordNews, também dirige a Word Awareness, pequena rede de tradutores profissionais, e coordena dois projetos que promovem a literatura brasileira no mundo: Contemporary Brazilian Short Stories (CBSS) e Cuentos Brasileños de la Actualidad (CBA).