De onde vêm as expressões em inglês?

Eis uma excelente entrevista da Rádio Pública Nacional (NPR) com Christine Ammer, autora do The American Heritage® Dictionary of Idioms.

Como sou uma nerd linguística, este é o tipo de livro que me deixa com um sorriso estampado no rosto e o coração batendo acelerado. Aprender de onde vêm expressões idiomáticas, quando elas foram usadas pela primeira vez, por quem e se mudaram de significado e/ou ortografia com o passar dos anos: para mim, não tem coisa melhor!

Algumas expressões destacadas incluem Bite the bullet ("Morder a bala do revólver" = Fazer das tripas coração, aguentar, morder a língua, engolir o sapo e seguir adiante), Make no bones about it ("Não fazer osso sobre o assunto" = Falar logo de uma vez, com toda a sinceridade), Take the cake ("Levar o bolo" = Ganhar o prêmio, destacar-se entre os outros, às vezes por motivos nem tão bons assim), Elephant in the room ("Elefante na sala" = Assunto obviamente constrangedor, mas sobre o qual ninguém quer falar), Push up daisies ("Empurrar margaridas" = Estar morto e sepultado), Dark horse ("Cavalo escuro" = Azarão, aquele que faz a gente dizer "Deu zebra!") and Pie in the sky ("Torta no céu" = Castelos de areia, promessas inviáveis que nunca vão ser cumpridas). Estas são frases que não dá para traduzir literalmente, com base apenas no significado das palavras. Mais contexto, faz favor!

A 1ª edição saiu há 15 anos e esta foi revisada e ampliada para incluir mais de 10 mil expressões, ditados populares, locuções e interjeições com detalhes sobre origem e uso. Esta é uma documentação muito importante sobre como o inglês vêm evoluindo com o passar dos anos e uma ferramenta fundamental para os tradutores que trabalham com essa língua.