Atualização nas traduções de clássicos literários

Após algumas décadas, alguns livros traduzidos podem precisar de revisão para permanecerem atuais e relevantes diante de uma nova geração de leitores. Eis uma lista de iniciativas recentes nessa área:

  • "Os três mosqueteiros" e "O conde de Monte Cristo" de Alexandre Dumas em português, com anotações, tentam atrair fãs "Harry Potter" e "Crepúsculo" no Brasil
  • "As aventuras de Tom Sawyer" de Mark Twain ganha nova tradução em espanhol no México porque a versão anterior do clássico de 1876 "estava com cheiro de naftalina"  
  • "A Ilíada" de Homero ganha nova vida em inglês com Stephen Mitchell, considerado "astro do rock dos tradutores", e é comparada às versões anteriores pelo New Yorker
  • "A odisseia" de Homero é traduzida para o catalão por Joan F. Mira, que queria trazer um texto tão antigo para mais próximo dos leitores contemporâneos
  • "O inferno" de Dante em inglês é um estouro graças a Mary Jo Bang! E a versão em estoniano é finalmente publicada após 100 anos de preparativos
  • "Os sofrimentos do jovem Werther" de Goethe ganha nova roupagem em inglês por Stanley Corngold
  • "O segundo sexo" de Simone de Beuvoir em inglês foi concluído a quatro mãos por Constance Borde e Sheila Malovany-Chevallier
  • "Uma vida russa" de Tolstói em inglês é um lembrete fácil de ler da tradutora Rosamund Bartlett sobre como o autor era um homem complexo