Albert Nolla e a arte de traduzir japonês em catalão

Albert Nolla é um daqueles talentos raros. Ele é espanhol e traduz de japonês para catalão. Reconhece que os tradutores têm ficado no anonimato no reino literário. Até diz que os críticos literários só se lembram de que os tradutores existem quando encontram alguma coisa errada na tradução. Mesmo assim, permanece otimista que o papel que os tradutores desempenham no mundo cultural está ficando cada vez mais definido.

Sobre a combinação rara de idiomas, ele diz que quanto mais distantes estiverem as línguas original e final, maior será a necessidade de viver em um país que represente tais ambientes culturais e linguísticos. "Também traduzo Paul Auster, que é nova-iorquino, mas nunca estive em Nova Iorque e nem preciso, considerando a abundância de referências que podemos encontrar sobre a cidade", explica.

Matéria completa [em espanhol] no site Diario de Mallorca