China tenta proibir tradução de "Por um deus indignado"

Jean-Pierre Barou, editor dobestseller "Por um deus indignado" (Indignez-vous !) de Stéphane Hessel, garante que o governo chinês "está fazendo pressão" para proibir a tradução do livro para o mandarim. "Com certeza as autoridades chinesas estão sendo bastante reticentes", Barou disse em entrevista à agência de notícias EFE, da Espanha, onde o livro de 32 páginas já vendeu 500 mil cópias. 

Segundo ele, a editora Beijind Fonghong Media Co. atrasou seus planos de imprimir a versão chinesa depois que ele anunciou uma edição "nova e melhorada", à qual Hessel adicionou capítulos sobre os Estados Unidos e a China.

O autor, que acredita que "está para acontecer algo" na situação dos direitos humanos na China, é diplomata e ex-integrante da Resistência Francesa que participou da criação da Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948.

Matéria completa [em espanhol] no site Univisión